Traços do ser

Por Maria Fernanda Romero

A vida são lapsos de amor intercalados com fagulhas de dor,
as tristezas e os espaços da vida tem a sua beleza,
é a vida: difícil e bela.

O mundo, tão inóspito e vazio,
também abriga uma imensidão de flores,
a tristeza tem sua beleza,
e faz te lembrar que está vivo.
E viver doí,
mas também, se não houvessem fagulhas de dor, como reconheceríamos os lapsos de amor?

nascer do sol no Saara e menina entre as dunas
Deserto do Saara- Marrocos

Caminho para casa

Por Maria Fernanda Romero

Os sentimentos,
tão profundo,
turbinados,
pelo calor do seu abraço,
ofegante,
caminho de volta para casa,

navego nesses sentimentos,
escorrego nas dunas,
que não são como no deserto,
mas a areia arranha,
as estranhas,
entranhas,
do meu coração,

porque essas almas vazias,
não saciam a minha fome,
de viver

folhas secas em primeiro plano, lago em segundo e montanha desértica no fundo
Poesia em Portugal

Ser Mulher

Por Maria Fernanda Romero

Sou mulher.

Meu espaço frequentemente é invadido

meus desejos frequentemente são hostilizados

sou objetificada.

Sou mulher,

Às vezes, menina,

sou sensível

não sou fraca

nem sou louca

não sou histérica.

Sou mulher

sangro por uma semana

mesmo quando não estou machucada 

as feridas que mais doem são outras 

o coração, às vezes, aperta.

Sou mulher

tenho a possibilidade de ter filhos

deveria ter a possibilidade de não querê-los.

Sou mulher

sou guerreira

sou bruxa

sou flores

sou cores,

 sou amores.

menina com vestido estampado sentada na trilha e uma flor laranja no cabelo
Trilha na Guarda do Embaú