Tudo que você precisa saber para estudar em Portugal

Sonha em estudar em Portugal? Escrevi um guia completo com todas as informações necessárias e histórias de quem já foi para você planejar seus estudos em Portugal

Rio Tejo e ponte 25 de abril, marcos de lisboa
Rio Tejo e Lisboa

COMO ACHAR UM CURSO PARA ESTUDAR EM PORTUGAL

Estudar em Prtugal é uma oportunidade de realizar um intercâmbio no exterior e aprender um pouco sobre a vida e cultura européia. Mas como encontrar um curso no exterior?

A escolha de um curso universitário é sempre uma decisão de peso. Investimos tempo e dinheiro e sempre rola uma insegurança se o investimento vai valer a pena. Quando precisamos fazer essa escolha na nossa cidade, podemos ir conhecer a universidade, os alunos e professores, buscando uma identificação com o ambiente e o curso. E quando a escolha envolve atravessar o oceano?

 As coisas estão mudando e muitas pessoas conseguem trabalhos multidisciplinares, mas a graduação universitária costuma direcionar o nosso rumo profissional. Mesmo em situações de cursos de pós-graduação ou especializantes, queremos saber se o curso será prazeroso, se o aprendizado será fluído e se acrescentará boas coisas na nossa vida.

Laboratorio em Universidade de Portugal com computador e equipamentos de estudo
Universidade do Algarve

As universidades mais conhecidas ficam na capital, Lisboa, em Porto e Coimbra. A busca para estudar em Portugal pode começar consultando rankings internacionais e sites que classificam quais são as universidades e cursos conceituados na região. Outra forma mais pessoal de encontrar um curso é em grupos de facebook. Pela internet é possível contatar estudantes que vão falar como são os cursos na prática.

Fernanda Nicolini, 27, mestranda em Psicologia Social na Universidade do Porto, encontrou seu curso quando foi apresentar sua pesquisa sobre Redução de Danos em um congresso em Minas Gerais. A psicóloga assistiu a palestra de um professor da Universidade do Porto e se identificou na hora com o que ela estudava e gostaria de se aprofundar.

Ponte Sob o Rio em Porto, Portugal
Fernanda Nicolini decidiu estudar em Porto, Portugal

“Eu já tinha o sonho de morar fora desde da adolescência e no momento estava pensando em fazer uma pós na Austrália, mas quando assisti essa palestra virou a chavinha para Portugal. Fui conversar com o professor, que me deu umas opções de curso e pesquisando, tive mais certeza que era isso mesmo.”

Fernanda também conta da importância do facebook no seu processo entre a decisão e a viagem. Junto com outras amigas, ela criou uma rede de apoio para mulheres que querem estudar em Porto. Nessa rede, com mais de 100 participantes, elas se ajudaram muito em termos de documentos, dúvidas e planejamentos.

Já Helora Torres, 26, biologa, fez um intercâmbio de um ano da graduação na Universidade do Algarve buscando uma vivência cultural e conexões no meio acadêmico. “Eu já estava em uma altura da graduação perto de me formar e decidi que queria fazer um ano de intercâmbio antes do fim da faculdade.”

Castelo no Algarve com a bandeira de Portugal
Helora decidiu estudar em Faro, Algaver

A estudante tinha um amigo que morava em Faro, e pesquisando sobre as praias do Algarve, Helora apaixonada por natureza, decidiu que seria ali seu intercâmbio.

QUANTO CUSTA ESTUDAR EM PORTUGAL?


O custo da Universidade deve ser somado com o custo médio de vida para alugar um quarto, comer, se locomover e lazer. O custo de vida em Portugal é menor que outros países da Europa e varia de cidade para cidade, mas é em torno de 500€ por mês. 

Trabalhar nem sempre é possível, pois vai depender do curso, universidade e permissões do visto. Vou falar sobre tudo isso ao longo do texto, mas o ideal é ir com dinheiro para se sustentar pelo menos por 6 meses em Portugal.

estudantes sentados em bosque da universidade do algarve em momento de lazer
Estudantes no Campus da Universidade do Algarve

Universidade e valores

O valor médio da propina, como os portugueses chamam a mensalidade, nas universidades portuguesas é de 150 a 200€. Os brasileiros têm uma vantagem, pois os valores têm um  desconto chamado CPLP, aplicável para nativos de países de língua portuguesa.

Helora não pagou propina, pois fez o intercâmbio através de um acordo bilateral que existe entre a Universidade Federal de Santa Catarina, e outras federais do Brasil, e a Universidade do Algarve. O acordo prevê que os alunos da federal não precisam pagar propina.

Opções de Bolsa para estudar de graça em Portugal

Para quem já está na graduação no Brasil, buscar acordos entre a sua universidade e a universidade em Portugal é uma opção. Outro meio é são as bolsas CPLP. Além do desconto na propina, a CPLP também oferece bolsas para estudar em Portugal, destinadas para estudantes do Ensino Superior, Ciência e Tecnologia da Comunidade de Países de Língua Portuguesa.

Para conseguir essas bolsa tem que ficar atento a data de abertura das inscrições de cada universidade. A proposta dessa comunidade é contribuir e ampliar o acesso a ciência e às universidades portuguesas, reduzir desigualdade e melhorar as condições de vida de todos os cidadãos parte dos Estados-membro, ou seja, é uma reparação histórica de Portugal com as ex-colônias.

Outra forma para estudar em Portugal de graça é através do ENEM.

Algumas universidades portuguesas como a Universidade de Coimbra, Universidade do Porto, Universidade do Algarve, Universidade de Lisboa, Universidade de Aveiro e outras tantas aceitam o ENEM como forma de ingresso. A candidatura deve ser feita no site das universidades e junto com os documentos exigidos e a nota do ENEM. A nota de ser convertida para o sistema português e dependendo do curso, o estudante precisa ter mais de 650 pontos no Exame Nacional do Ensino Médio.

estudante de Biologia com blusa escrita algarve é o nosso campus conta como estudou de graça em portugal
Helora estudou de graça em Portugal

A maioria das universidades permitem que os alunos que ingressam a partir do ENEM também possam se candidatar a bolsas de mérito. Todo o processo de candidatura aos cursos e as bolsas acontece no site de cada universidade, então precisa ficar sempre atento nas modificações e datas!

Outras formas de ingressar na Universidade em Portugal

Se você acaba de sair do Ensino Médio e não conseguiu a nota no ENEM, algumas universidades oferecem um curso preparatório para ingressar no curso superior. 

Outra maneira é fazendo a candidatura no site, enviar o currículo, fazer entrevista e provas especìficas. Nao sao todas as instituições que realizam provas diretas, por isso é sempre necessário ficar atento ao site da universidade que você tem interesse

COMO TIRAR O VISTO DE ESTUDANTE

O processo de visto começa quando o interessado faz o pedido no Consulado Português. O processo mudou em maio de 2019, atualmente o visto é feito em parceria com a empresa VSF GLOBAL.

É necessário entregar as os documentos de matrícula na universidade, no caso de pós-graduação junto com a matrícula o diploma e histórico escolar apostilados, comprovante de renda, comprovante de passagem e de hospedagem em Portugal e eventualmente um documento da família ou responsável financeiro em caso de emergências. 

foto da faculdade de ciencias e tecnologias no Algarve em Portugal
Universidade do Algarve

Helora conta que seu visto demorou quase 50 dias para sair e as aulas já tinham, inclusive, começado. A dica dela é pedir o visto com bastante antecedência.”

DOCUMENTOS E BUROCRÁCIAS NA CHEGADA EM PORTUGAL:

O processo de migração é burocrático, com taxas e prazos confusos, mas é possível fazer sem ajuda de advogados. Fernanda Nicolini conta que fez todo o processo, desde das matrículas na universidade até o os documentos em Portugal. O que mais ajudou a psicóloga foi a rede de apoio no facebook.

Chegando em Portugal é preciso dar entrada ao pedido de residência em três meses e fazer o NIF, equivalente ao CPF brasileiro. O registro do NIF é feito nas finanças e precisa de um responsável fiscal. Com o NIF é possível fazer um registro de saúde, número de utente, em qualquer posto médico próximo a sua morada.

vale e rio em portugal
Turistas podem pedir auxílio de advogado para estudar em Porugal

A entrada da residência é feita no SEF (Serviço de Estrangeiros e Fronteiras) mediante a horário marcado. Os documentos necessários para fazer a residência são os comprovantes de morada e de estudo, o NIF e o número de utente.

Alguns alunos aflitos com a demora do visto vem para Portugal sem o visto de estudante e marcam horário no SEF para regulamentar a sua situação no país. Não é aconselhável e pode ser que para esse procedimento seja necessário um auxílio de um advogado, porém é uma opção para quem já está em Portugal como turista e achou um curso interessante.

Para estudar e trabalhar, outro pedido de autorização deve ser feito no SEF. É possível, mas é burocrático e pode ser demorado.

Pós e Contras de Estudar em Portugal

Helora aponta que a metodologia de ensino Universidade do Algarve é muito diferente da UFSC. “Em Portugal eles gostam muito de análises estatísticas, revisão de dados, construção de gráficos, e apesar de ter bastante campo na área de biologia marinha, o estudo deles é mais focado em microbiologia.”

Dentro da sua área, a estudante vê mais possibilidades de estágios, vivências e iniciação científica no Brasil, porém de forma alguma acredita que perdeu tempo estudando em Portugal. “Apesar da minha formatura ter atrasado em um ano, a vivência, a experiência, as pessoas que conheci me acrescentaram muito”, conta Helora, que também acredita que teve mais aproveitamento do conteúdo fazendo o intercâmbio no fim da faculdade.

Biologa aprendeu muito durante intercâmbio em Portugal

Fernanda também destaca tudo que Portugal trouxe além da universidade. “Porto é uma cidade pequena, acolhedora e calma, e tem acesso a natureza muito fácil: praia, praia fluvial, trilha, é possível respirar fora da cidade”. Para ela, outra vantagem de Porto é a segurança.

A economia também é uma das vantagens que a psicóloga viu em Portugal. Ela sentiu como o seu poder de compra aumentou em relação ao Brasil.  “O mercado tem mais opções orgânicas e veganas e é mais barato que no Brasil e muito mais barato que outros países da Europa como Espanha e Inglaterra.”

Helora também se emocionou com a beleza de Portugal. “Eu saí do Brasil pela primeira vez e chegar no continente Europeu e encontrar toda beleza de Portugal foi muito lindo, foi emocionante”. A estudante também se deu bem com os portugueses que cruzaram seu caminho, ela conta ter sido bem tratada.

Fernanda, que convive com outros migrantes, observa como o mercado de trabalho é mais difícil e enxerga um preconceito e machismo em volta disso. “É duro, Portugal é um país conservador e pequeno”, mesmo assim a psicóloga fez amizades muito fortes durante o intercâmbio. “A relação quando estamos fora de casa é bem mais intensa, qualquer intercâmbio faz com que os estrangeiros criem uma rede de apoio, uma família.”

rio correndo por areia no algarve
Biologa destaca a beleza natural de Portugal como ponto positivo durante intercâmbio

A maior dificuldade da estudante de biologia em Faro foi achar um lugar para morar. Ela conta que os preços estão cada vez mais abusivos e isso deixou ela muito preocupada nos primeiros meses. “Muitas coisas são parecidas com o Brasil também, principalmente a burocracia, tudo muito enrolado e difícil”, conta Helora.

Para Fernanda, a maior dificuldade foi o primeiro inverno. “Muito frio, muito vento e chuvoso. Eu fiquei bem deprê no meu primeiro inverno. Foi super profundo para mim, super importante, mas bem intenso. Tive que ficar em casa e olhar bastante para dentro.”

Toda dificuldade do inverno acaba no verão com dias quentes que acabam às 22h. Helora aconselha todos que estejam na dúvida sobre ir, a irem. “Vá! Não deixe de ir. Vai ser uma experiência legal. É possível, é viável, tem formas de conseguir bolsas e trabalhar”. 

praia deserta em Portugal
Psicologa considera o inverno e a solidão como pontos negativos do intercâmbio

Fernanda também tem boas impressões sobre o que está vivendo em Portugal. “Eu sou muito grata a Portugal, gosto muito do meu mestrado, teve bons resultados, foi muita boa essa experiência. Eu não aprendi apenas psicologia, eu pude me reinventar nessa experiência, me conhecer, aprender a me virar no mundo.”

A psicologa aconselha a abrir a cabeça. “Portugal é muito bom para abrir suas portas para o mundo. É mais fácil viajar e conhecer coisas novas, mas não é tão promissor para trabalhar. Não crie muitas expectativas e esteja pronto para se transformar, se você vier com a cabeça muito fechada ou muita expectativa pode ser mais desafiador”.

CONCLUSÃO

Espero que esse guia tenha te ajudado a planejar seus estudos em Portugal. Essa decisão não é fácil de ser tomada, mas com tantas dicas boas por aqui, acredito que uma luz tenha ascendido na sua cabeça

Qualquer dúvida sobre estudar em Portugal pode ser deixada nos comentários

×