Lagoinha do Leste

Por Maria Fernanda Romero

A melhor trilha de Florianópolis

Escrevi em outra postagem sobre algumas das INÚMERAS trilhas que existem em Florianópolis e prometi falar sobre a Lagoinha do Leste. Já tinha ouvido falar algumas vezes, que era o melhor lugar da Ilha. É difícil classificar o que é melhor em um lugar que me surpreende todos os dias. Mar, cachoeira, esporte, cultura, parques… são tantas coisas, que não é possível escolher só uma, mas com certeza, a Lagoinha do Leste é um dos melhores lugares.

COMO CHEGAR NA LAGOINHA DO LESTE

LAGOINHA DO LESTE ME FLORIANOPOLIS
Lagoinha do Leste

A praia é a mais isolada e conservada da ilha e não possuí construções, com exceção das ruínas da casa do seu Tibúrcio. A lenda diz que o casebre é feito de argila amarela retirada das margens da Lagoinha e garrafas que ele recolheu na região.

Para chegar lá existe uma trilha que saí da praia do Pântano do Sul e outra do Matadeiro. Ambas são difíceis e possuem subidas complicadas, mas a primeira opção é a mais curta. A ida é mais fácil, dura cerca de 50 minutos.

Acordamos às 5h para conseguirmos fazer a trilha com o nascer do sol. A paisagem é maravilhosa e outra vantagem do horário é não pegar o sol tão forte. A praia é imensa, o mar azul e a vegetação praticamente intocada.

Na costa esquerda da praia tem o Morro da Corroa, onde é possível fazer outra trilha e ter uma bela vista da praia e da lagoa. O local ganha esse nome, pois suas pedras lembram a uma corroa. A fauna também é extremamente preservada, e animais exóticos como lagartos são encontrados.

sol nascendo no morro das pedras em florianopolis
Amanhecer no Morro das Pedras
trilha em florianopolis a Lagoinha do Leste.
Lagoinha do Leste

Andando para a direita a lagoinha. A água doce que desce dos morros, deságuam em uma pequena enseada, onde se misturam com a água do mar, formando a lagoinha de água salobra, que dá o nome à praia.

Trilha, lagoa e mar, uma vista maravilhosa….além de muita magia!

Anúncios

De carro até o céu

Por Maria Fernanda Romero

CANNYONS BRASILEIROS

Em 18 de Novembro de 2016, saí de São Paulo com mais três amigos em direção aos Canyons que dividem os estados de Santa Cataria e Rio Grande do Sul. O lugar é incrível, chegar ao Aparado da Serra é literalmente chegar ao céu.

A formação geológica denominada Canyons é resultado de um evento vulcânico que o estado do Rio Grande do Sul registrou. O evento ficou conhecido como Formação Serra Geral.

vegetação pela estrada a caminho dos cannyons no rio grande do sul
vegetação na estrada
flor amarela no rio grande do sul
vegetação na estrada
img_7752
vegetação na estrada

O PERCURSO

De São Paulo até lá são quase 1000km. Saímos em direção ao Paraná pela BR-116, depois a estrada vira BR-101 e continuamos em sentido a Lages-SC. De Lages pegamos outra estrada para São Joaquim-SC e finalmente, já na serra Catarinense, pegamos a estradinha de terra que nos levou ao Canyon Boa Vista, no município de São José dos Ausentes. Voltamos pelo Serra do Rio do Rastro, outro símbolo de cartão postal.

A viagem toda é maravilhosa, o que restou das Araucárias colorem a paisagem, assim como outras flores. A vista de cima é encantadora, porém o fenômeno Viração torna impossível enxergar qualquer coisa que esteja a mais de 1m de distância.Não vivi nenhum amanhecer tão profundo, energeticamente você sente o espaço, é uma experiência única e renovadora. Um dos lugares mais bonitos do Brasil.

NASCER DO SOL EM SAO JOSE DOS AUSENTES, RIO GRANDE DO SUL
Nascer do sol nos cannyons
NASCER DO SOL EM SAO JOSE DOS AUSENTES, RIO GRANDE DO SUL
Nascer do sol nos Cannyos
os cannyons brasileiros em sao jose dos ausentes
Cannyos
os cannyons brasileiros em Sao Jose dos Ausentes
Cannyons
Neblina nos cannyons em Sao Jose dos Ausentes
Cannyons com neblina
Vista dos cannyons em Sao Jose dos Ausentes
Cannyons
Cannyons em Sao Jose dos Ausentes
Cannyons
Cannyons em São José dos Ausentes
Cannyons
Cannyons em São José dos Ausentes
Cannyons
PS:USE PROTETOR SOLAR

Floripa que não te mostraram

Por Maria Fernanda Romero

O QUE FAZER EM FLORIPA- ROTEIRO ALTERNATIVO

Se você planeja ir ou já foi à Florianópolis com certeza você já ouviu falar da Lagoa da Conceição, da Joaquina, de Jurerê e quem sabe até do Campeche. Eu amo demais a Lagoa e seus barzinhos, assim como o canto direito da Joaquina, em Jurerê tem a P12 e a ilha do Campeche é realmente linda, mas Floripa é muito, muiito mais que isso!

Infinitas trilhas e paraísos secretos tornam a Ilha da magia, mágica. Eu vou contar de três que tive a imensa oportunidade de conhecer:

1)Trilha ecológica do Rio Vermelho

Essa trilha mais do que especial fica ao leste da ilha, dentro do Parque Estadual do Rio Vermelho. O parque é conservado pela FATMA (Fundação do Meio Ambiente) . A FATMA, em conjunto com a ONG R3 Animal e a Polícia Militar Ambiental, cuidam dos animais resgatados na região, sejam eles vítimas do tráfico ilegal, ou que por algum motivo saíram do seu habitat natural. Após tratamentos, os animais são devolvidos para a natureza. Alguns por alguma doença, ou pelo tempo que permaneceram em cativeiro não podem ser devolvidos a natureza, esse animais ficam sob custódia, na Trilha do Rio Vermelho. Visitar a trilha não é um mero passeio ecológico, é um convite à reflexão: O que o ser humano está fazendo com a natureza? Por que eles estão presos enquanto nós, soltos, destruímos tudo?

Além da trilha o Parque Estadual do Rio Vermelho contempla a Praia de Moçambique, vale a pena visitar ambos!!

TRILHA RIO VERMELHO FLORIANOPOLIS, TARTARUGAS ESCALAM
Tartarugas no Rio Vermelho
TRILHA RIO VERMELHO FLORIANOPOLIS, TARTARUGAS ESCALAM
Tartarugas no Rio Vermelho
TRILHA RIO VERMELHO FLORIANOPOLIS, PAPAGAIO
Papagaio no Rio Vermelho
LAGOA EM FLORIANOPOLIS
Trecho da Lagoa no Rio Vermelho

2) Secret Point

Também ao leste da ilha, no caminho da Joaquina, um gramado cercado escondem a entrada desse lugar paradisíaco. Depois do primeiro desafio, que é achar a entrada, a subida começa. A primeira parte da trilha é mais aberta, depois de cruzar um pequeno riacho ela fica bem estreita e fechada, recomendo usar calça ou as pernas ficarão com pequenas marcas dos arranhões causados pela mata. 25 minutos subindo e mais cinco minutinhos de descida e ufa! -um paraíso completamente deserto!! É beleza em 360º!

ondas e mar em um lugar maravilhoso em Florianopolis
Secret Point
ondas e mar em um lugar maravilhoso em Florianopolis
Secret Point
ondas e mar em um lugar maravilhoso em Florianopolis
Secret Point
ondas e mar em um lugar maravilhoso em Florianopolis
Secret Point

3)Trilha do Gravatá

Um pouco mais fácil que a trilha anterior, mas também ao leste da ilha, a Trilha do Gravatá, também conhecida pelo seu formato de dragão, leva a outro pedaço do paraíso ao leste da Ilha.  A entrada fica no caminho para a praia Mole e a caminhada dura cerca de 20 minutos. O desafio dessa trilha são as pedras escorregadias que ficam no caminho, mas que vale a pena enfrentar.

trilha em florianopolis no morro do gravatá
Gravatá
trilha em florianopolis no morro do gravatá
Gravatá

Ainda faltam inúmeras trilhas para conhecer: Lagoinha do Leste, Trilha dos Naufragados, mas essas já me provaram que o paraíso existe, sim!

Ozora, um pedaço do paraíso no interior da Húngria

Por Maria Fernanda Romero

FESTIVAL DE CULTURA ALTERNATIVAS

Um festival de Culturas Alternativas acontece todo ano na cidade de Dádpuszta na Húngria. O Ozora foi meu primeiro festival fora do Brasil, e eu fiquei totalmente chocada com os pequenos detalhes.

festival de cultura alternativas na europa
Relaxando no festival

festival  de cultura alternativas na europa
Natureza no festival

festival  de cultura alternativas na europa
Natureza no festival

festival  de cultura alternativas na europa

van psicodelica verde festival  de cultura alternativas na europa
van psicodelica

LINE UP do festival  de cultura alternativas na europa
Line Up

chill out festival  de cultura alternativas na europa
Chill out

quadros coloridos no festival de cultura alternativas ozora na Hungria
arte no festival

EXPERIÊNCIA

Ao chegar, além da pulseira da festa, os viajantes ganham um saco de lixo e uma bituqueira. A preocupação com o meio ambiente é muito grande na Europa, e em um festival como esse não seria diferente. Não havia lixo no chão, diversas lixeiras estavam espalhadas pelo espaço, inclusive lixeiras de coleta seletiva- para separar metal, papel, plástico e lixo orgânico.

A decoração impecável estava sempre em harmonia com a geometria sagrada. A preocupação também ia além da estética: vários espaços com sombra foram montados para as pessoas se protegerem do sol. Lá faz um sol fortíssimo, a poeira e o clima seco pedem muita sombra e água fresca. O que lá, é de graça. Centenas de torneiras com água potável estão espalhadas pelo festival.

chill out psicodelico durante a noite do festival de culturas alternativas ozora
Chill out noturno

Main floor noturno no festival de culturas alternativas
Main floor

fogo durante a noite
Ritual na fogueira

Main floor durante a noite
Main floor

main floor festival  de cultura alternativas na europa
Main floor

decoração do festival de cultura alternativas ozora
Decoração

ARTE

Outra coisa que me chamou atenção foi o nível de qualidade dos workshops da festa. Em uma casa, artistas incríveis compartilhavam um pouco do seu conhecimento com o público. Workshop de cerâmica, tie dye, filtro dos sonhos, roupa reciclável, trabalho em couro- as opções eram infinitas.

workshop durante festival de cultura alternativas na europa
Workshops

workshop durante festival  de cultura alternativas na europa
Workshop

workshop durante festival  de cultura alternativas na europa
Workshop

workshop durante festival  de cultura alternativas na europa
Workshop

workshop durante festival  de cultura alternativas na europa
Fogo do conhecimento

cozinha comunitaria no festival de culturas alternativas
O problema da fome não é a falta de comida, e sim, a má distribuição dela

A arte estava por todos os lados, em uma espécie de exposição-piramide era possível entrar na psicodelia da arte e apreciar a vista de cima da pista principal do Ozora. Viver o Ozora para mim foi muito especial, foi viver um mundo paralelo, uma sociedade tão linda e tão viva.

quadro duas pessoas fumando uma flauta
Arte no Ozora

IMG_7097

Dica: Se for ao Ozora, vá ao labirinto.

labirinto festival de cultura alternativas
Labirinto

Budapeste

Por Maria Fernanda Romero

CONHECENDO BUDAPESTE

Budapeste, capital da Hungria, é uma cidade muito especial. A cidade traz em sua essência a resistência de um povo que tem tantas guerras em sua história, mas hoje é alegre e agrega tão bem diferentes povos.

 A Bácia dos Cárpatos foi construída pelo Império Avaro e dominada pelo Império Romano. Em 896 o príncipe Árpád conquistou a região e deu início a monarquia Húngara. A cultura húngaro sofre influência tanto do leste europeu quanto do ocidente. O idioma, que é muito diferente da língua dos países vizinhos, tem parentesco com o finlandês. A arquitetura gótica predomina nas construções e até hoje as ruas de Budapeste te levam à um passeio na Idade Média.

Durante as guerras medievais, o Estado húngaro sofreu diversos ataques que quase destruíram totalmente o país, entretanto o maior inimigo da nação surgiu no século XV, o Império Turco Otomano.

Por muito tempo foi possível combater o inimigo, entretanto em 1526 os turcos venceram os húngaros e em 1541 o país foi dividido e controlado pela família Habsburgo, tradicional família austríaca, e pelo  Império Turco Otomano.  Uma terceira parte permaneceu no reino da Hungria. Durante quase dois séculos a capital Húngara, Buda, permaneceu sob o controle Turco.

Depois de um período de calmaria e reunificação do reino, em 15 de março de 1848 Lajos Kossuth liderou uma revolução que buscava a independência total do Império Austríaco, mas uma vez que os rusos estavam do lado Habsburgo, A Hungria foi derrotada mais uma vez.Ferenc Deák foi o líder hungaro responsável pelo acordo de 1867, que marcou o surgimento do Império Austro-Húngaro.

Imperio austro Hungriaco.jpg
foto: blogmundohistoria.blogspot.com

Durante a Primeira Guerra Mundial o Império,derrotado,  perdeu território. Em 1919 líderes comunistas impuseram um regime, que não permaneceu por muito tempo. Na Segunda Guerra Mundial, liderada por um governo de direita, a Hungria se aliou a Alemanha.Mais uma vez derrotada, o país no centro-europeu, permaneceu sob o comando da URSS até a o fim do comunismo no leste europeu.

O QUE FAZER EM BUDAPESTE

A redondeza do Parque da Cidade é tranquila e arborizada. Perto do parque está situada a Praça dos Heróis, onde tem estátuas de figuras marcantes para a história da Hungria.

Praça em Budapeste, um ponto turistico em viagem pela europa
Praça dos heróis

a Avenida Andrássy, uma longa avenida movimentada com comércios e onde está situada a Casa do Terror e a Ópera Nacional, liga a Praça dos Heróis ao centro de Peste. A Casa do Terror relembra as mortes causadas tanto pelos nazistas, quanto pelos comunistas.

ponte de budapeste, ponto turistico em viagens pela na europa
Vista Budapeste

ponte de budapeste, ponto turistico em viagens pela na europa
Rio Danúbio

ponte de budapeste, ponto turistico em viagens pela na europa
Ponte Budapeste

Em cada escada de ferro, em casa parede desbotada, uma parte dessa história é contada. Budapeste é aquele lugar que você sente uma energia inexplicável, é a cidade que até fala com você.

Mundo de OZ

FESTIVAL DE ARTE E CULTURA

FESTIVAL DE CULTURA ALTERNATIVA

festival de cultura alternativa que aconteceu em São Paulo entre 20 e 24 de abril de 2016

fotos Maria Fernanda Romero

oz 1

O festival contava com a presença de uma cachoeira maravilhosa, a decoração deixou ela ainda mais exuberante.

oz 4

oz 8

oz 9

O palco, a noite estrelada, a decoração, as intervenções artísticas e o som tornaram as noites do Oz inesquecíveis.

oz 10

oz 11

oz 12

oz 13

oz 16

oz 17

oz 18

oz 19

Consciência ecológica também é uma das missões do festival.

oz 20

oz2

oz3