PULSAR: Permita seu coração sentir

Por Maria Fernanda Romero

FESTIVAL DE CULTURAS ALTERNATIVAS

Logo na entrada do distrito de Ipoema, Itabira, em Minas Gerais, uma placa indicava o caminho da Terceira Edição do Festival de Arte, Cultura e Sustentabilidade, PULSAR. Também se referia a ele como “Amigo da Natureza”. Isso porquê o festival teve apoio do  CODEMA, Conselho Municipal do Meio Ambiente, para sua realização.

Municipio de cachoeira alta, em ipoema, muito verde e uma queda dagua maravilhosa
Cachoeira Alta Ipoema
pista principal do festival de culturas alternativas pulsar
Pista Principal
chill out do festival de culturas alternativas pulsar
Chill Out
pista tranquila do festival de culturas alternativas pulsar
Chill Out

As estruturas, feitas de bamboo, combinadas com uma decoração de outra dimensão, demarcavam as áreas do festival: Pista Principal, Chill Out, Área de Cura, ResPire Redução de Danos e Praça de Alimentação. O Festival situado dentro do Parque Estadual Mata do Limoeira    tinha acesso a uma cachoeira, Cachoeira Alta, de uma queda de 110 metros.

noite de lua crescente, luz e sombra e no fundo a pista chill out do festival de culturas alternativas pulsar
Chill Out
equipe de redução de danos do festival de culturas alternativas pulsar
ResPire Redução de Danos

A Pista Principal era um portal. Até o bar fazia parte da decoração. Projeções, luzes negras e intervenções pirofágicas faziam a mágica acontecer. O Line up também estava impecável. A produção pensou em duas coisas fundamentais: a abertura, com Disfunction, e o encerramento com Kernel Panic. Nenhum dia deixou a desejar. Elowinz, Derango, Giuseppe, Sator Arepo, Farebi Jalebi, Impertinent, Chromatec, Megalopsy foram alguns dos nomes que se apresentaram na festa. Amantes do high BPM do mundo inteiro se impressionaram com as apresentações.

pista de dança do festival de culturas alternativas
Pista Principal
psicodelia na pista principal do festival pulsar
Pista Principal
pista principal e psicodelia. luz negra e cores brilhantes
Pista Principal

Na Área de Cura, além das medicinas alternativas, foram ministradas palestras sobre permacultura e ecologia. O local era um espaço perfeito para descansar e se conectar com uma energia renovada. O papel do Coletivo ResPire também foi fundamental na festa. Um local seguro para informação e discussões sobre o tema de Drogas e Redução de Danos, sem descriminalizar o usuário.

sapo gigante era a estrutura da area de cura do festival pulsar
Área de Cura

O PULSAR encanta e surpreende o público a cada ano. A única reclamação de muitos foi em relação a portaria da festa, e o fato de precisar do ingresso impresso. De resto, a festa deixa saudades e a certeza de que a cena cresce, com muita qualidade, cada vez mais no Brasil.

Anúncios

São Thomé dos Quartzos

A misteriosa cidade mineira

 São Thomé das Letras, está a 1.444 metros de altitude e localizada na Serra da Mantiqueira. Todo o chão, assim como a maioria das casas da cidade é feito de quartzito, arenito e calcário. A preservação dos quartzos é um dos charmes da cidade, porém não é só isso. A natureza exuberante e o misticismo atraem milhares de turistas à São Thomé todos os anos.

Lendas urbanas explicam, que o nome São Thomé das Letras surgiu da história de um escravo, que se apaixonou pela irmã de seu senhor. Também há inscrições rupestres na gruta da cidade, onde permanecia a estátua de São Tomé. Para mim “São Thomé dos Quartzos” parece mais apropriado, uma vez que a linda cidadela foi construída sobre um depósito mineral de quartzito, mais conhecida como “pedra de São Thomé”.

montanhas, por do sol e natureza em Minas Gerais
Vista da Serra da Mantiqueira
Pedra de São Thomé em montanha na cidade mineira
Pedra de São Thomé
pedras de sao thome, na ladeira da cidade mineira
Pedreira de Sobradinho

Assim como todo o rico estado de Minas Gerais, São Thomé foi muito explorada pelos bandeirantes. A extração das “pedras de são tomé” foi a principal atividade econômica da cidade por muitos anos. A pedreira, apesar de gerar empregos para os moradores da região, tem um impacto ambiental muito negativo, e hoje em dia moradores e turistas zelam para uma economia, que não degrade tanto o meio ambiente.

O QUE FAZER EM SÃO THOMÉ

A cidade também é um ponto energético da Terra, pelas presenças de tais quartzos o local exala uma energia telúrica, que atraí místicos, pesquisadores científicos e curiosos. Um dos pontos em que essa energia pode ser observada é na Ladeira do Amendoim.

A Ladeira fica na estrade de Três Corações para São Thomé, antes de chegar na cidade. Lá é possível observar carros sendo atraído para cima da ladeira, desafiando a gravidade. Guias explicas que é devido o magnetismo do local. Ainda antes de chegar à cidade, outro ponto que vale a pena visitar é a Cachoeira das Fadas.

cachoeira em sao thome das letras
Cachoeira Eubióse
poço em Sobradinho, Minas gerais. agua azul e clara
Poço da Jade- Sobradinho
cachoeira em sobradinho, minas gerais
Cachoeira do Sobradinho
cachoeira em sao thome das letras
Cachoeira Eubióse

São Thomé é uma cidade pequena, e tudo pode ser feito a pé. Na praça central ficam a Igreja Matriz e a Gruta. Subindo a rua o mais incrível: a Pedreira ou Parque Municipal Antônio Rosa. Na Pedreira ficam a Pirâmide, a Pedra da Bruxa e o Mirante, ambos com uma panorâmica impressionante para toda a Serra da Mantiqueira, além de nascer e pôr-do-sol de tirar o fôlego.

À caminho de Sobradinho, ao lado esquerdo está a cachoeiras da Lua. Virando no Bar do Johnny estão as cachoeiras Eubióse, Flário, Véu da Noiva entre outras. Em Sobradinho estão os lugares que eu mais gostei. Gruta e cachoeira do Sobradinho, Gruta do Labirinto, Gruta da Bruxa e o Pico do Gavião, todas as grutas precisam do acompanhamento de um guia.

piramide em sao thome, muito famosa pra apreciar o por do sol
Pirâmide em São Thomé
piramide em sao thome. Melhor vista da cidade
Mirante
piramide em sao thome. Melhor vista da cidade
Pirâmide

por do sol maravilhoso em sao thome das letras.

SPankartz a bioarquitetura psicodélica ousada

A Spankartz é uma empresa de bioarquitetura diferente de qualquer outra. Proporcionar uma realidade lúdica é algo ainda longe da arquitetura convencional. As cores e curvas, que encontram as pessoas, formam a nova e sustentável forma de arquitetura, que proporciona conforto e segurança para as pessoas.

Por trás das tendas psicodélicas que encantam festas trance pelo mundo, a Spankartz surpreende mais a cada trabalho. A marca foi criada por Rodrigo Gonzalez,30, que decidiu trabalhar com uma realidade diferenciada, após passar por um período de luto. Gonzalez prova para o mundo que, a criatividade é essencial para qualquer projeto de sucesso.”Eu tinha boas ideias e meu medo era de não ter pessoas que as realizassem comigo, então montei meu próprio grupo e comecei a colocar em prática.”

Com Bamboo ou Eucalipto, cordas e lycra, Rodrigo e sua equipe constroem pistas inusitadas e principalmente bonitas, apesar disso, o empresário não se vê como decorador. “Eu faço instalações fundamentais, que hoje em dia engloba decoração”.

A primeira vez que o grupo chamou atenção foi no Pulsar 2015. A “grande Aranha” foi o palco do Chill Out da festa mineira e impressionou até os mais antigos frequentadores da cena. “O Pulsar foi diferente de tudo, estudei aquela técnica por 3 anos”, conta Rodrigo “Nós nos espelhamos em núcleos maiores para fazer um bom festival, priorizando o bem-estar dos funcionários e investindo em uma boa área de alimentação e descanso.”

No ano seguinte, a SPankatz foi convidada para participar da montagem do Boom, em Portugal. A experiência foi incrível, afinal não poderia ser diferente,  os maiores e melhores núcleos de todo o mundo estavam reunidos compartilhando ideias, informações, experiências e sonhos.

A montagem da primeira edição do festival Kamala, no Uruguai, também foi feita pelo núcleo, que mais uma vez ousou nas técnicas. “Usamos um poste suspenso com cabeamento de aço. A técnica é de uma crew americana e aprendi no Boom.” A festa portuguesa contou com 32 postes suspensos. “Aqui tem apenas um, mas já é um desafio para nós.”

Foi a primeira vez que, um poste suspenso foi usado em um projeto de Gonzalez. a ideia não estava no projeto original, mas quando um integrante da crew americana viu o projeto do colega brasileiro, deu a seguinte sugestão.

Além do trance, as construções são uma nova forma de arquitetura, que além de limpa e sustentável, monta e desmonta com facilidade, não devasta o solo e a mata entorno e são muito resistentes a vento e chuva. Rodrigo enxerga um futuro de possibilidades, e um deles, é construir abrigos, por exemplo, para imigrantes.

Os desafios são grandes, mas com humildade, coragem e comprometimento, a SPankartz promete vencê-los todos.

 

Versão reduzida da entrevista realizada com Rodrigo Gonzalez no Uruguay

SPANKARTZ: ARTE E BIOARQUITETURA

Rodrigo Gonzalez & SPANKARTZ A/I: Uma nova possibilidade a cada projeto

Spankartz A/I é um grupo de bioarquitetura e design diferenciado. “Proporcionamos uma realidade lúdica para as pessoas que é algo que está distante da arquitetura convencional-reta.”, diz Gonzalez, o idealizador do núcleo.

Rodrigo Gonzalez e sua equipe constroem pistas, palcos, áreas de descanso, portais, galerias de artes e áreas funcionais inusitadas e muito encantadoras. Com cores, técnicas, formas e sustentabilidade criam uma nova forma de arquitetura, que proporciona, para o público de festivais de música e encontros alternativos, sombra conforto, abrigo além de muita segurança. Mesmo assim o idealizador não se vê como decorador: “Eu faço estruturas funcionais de uso coletivo, que hoje em dia são vistas como instalações decorativas nos festivais.”.

spank8
Lugar, onde Rodrigo cria todos seus projetos
sp 9
Foto: reprodução

A Spankartz  está em ativa desde 2015 surpreende mais a cada estrutura apresentada. Paulistano frequentador da cena desde 2000, que decidido a conquistar uma nova realidade através das artes, após um período de luto e reflexão deu início em 2011 aos aprendizados com bioconstrução, arquiterura e permacultura, visando criar estruturas com materiais naturais e tecidos. “Eu tinha muitas ideias mas também muito receio de não ter um time para realizá-las comigo, então iniciei uma busca sendo muitas vezes voluntário em alguns festivais e assim encontrando as pessoas certas que hoje fazem parte do núcleo”. Gonzalez prova para todos que criatividade somada ao amor pelo trabalho é essencial para que um projeto seja de sucesso.

O primeiro grande destaque do núcleo foi no Festival Pulsar 2015. “Fui convidado para criar o time que atuaria em campo, pensei no que seria o melhor para o acontecimento então convoquei amigos de sete estados, com os quais já havia trabalhado em diferentes situações para realizar aquele sonho chamado Pulsar.”, conta Rodrigo. A grande “Aranha“ foi o palco desenvolvido para atender o espaço denominado Molecular Stage do festival, que acontece em Minas Gerais. Impressionando até os mais antigos frequentadores da cena trance nacional, sua forma era mais orgânica assim fora do habitual visto atualmente. “Pulsar foi diferente de tudo até aquele momento, estudei a técnica utilizada no Molecular Stage desde o primeiro contato com festivais que foi no festival AHO litoral paulista em 2012, de lá pra cá foram três anos de estudos.”,diz Gonzalez.

spankt.jpg
Molecular Stage Pulsar 2015- Foto reprodução facebook.com/pg/pulsarfestival.art

Logo na sequência SpankartZ foi convidada para participar de projetos em 4 festivais na Europa: Goa Gil DE, Fusion e Freqs of Nature, ambos na Alemanha, e a primeira edição do WAO Festival na Itália,onde Rodrigo considera ter concluído seu maior desafio até então, construindo uma cúpula com arcos de bamboo a 8 metros de altura. Este trabalho foi realizado em conjunto com a crew Free Optics responsável pela decoração da estrutura.

spankartz 2
Foto reprodução
spanktarz 4
Foto reprodução
spanksts 7
Foto reprodução

Já em 2016 Rodrigo Gonzalez foi convidado para participar de um dos maiores festivais de música & conhecimentos do mundo o “Boom Festival”, em Portugal. A experiência não podia ser mais do que surpreendente para ele com os melhores grupos do globo reunidos para compartilhar idéias, informações, experiências e sonhos.

Recentemente foi convidado para o Festival KAMALA, realizado no Uruguay terra natal de sua família. Ousou ao apresentar uma nova técnica que vai para seu currículo. “Usamos um poste central suspenso por cabos de aço técnica que aprendi com a crew americana DoLab no Boom”.

spankartz 5
Foto: reprodução
spankartz1
Foto: reprodução

Agora além do cenário de festivais nacionais e internacionais a SpankartZ visa novos caminhos para as construções, como compartilhamento de conhecimento em workshops e estudos, que remetem a uma nova forma de arquitetura mesclando conhecimentos ancestrais à técnicas contemporâneas. Além de limpa, sustentável, prática e de menor impacto no local instalado, é também resistentes ao vento e a chuva.

Rodrigo Gonzalez enxerga um futuro de possibilidades para o grupo, um deles é construção de abrigos para uso coletivo em situações extremas, por exemplo, para refugiados ou desabrigados, vítimas de desastres naturais, guerras entre outros acontecimentos. O desafio é grande e são muitas as barreiras para contornar e concluir cada objetivo do grupo mas com força, humildade e determinação a SpankartZ busca o equilíbrio entre diversão, conhecimento e trabalho para alcançar suas metas.

O refúgio dos leões marinhos

Cabo Polônio: um paraíso Uruguaio

Cabo Polônio é um pedaço de terra no meio de um mar bravo, que se quebra em grandes rochas. Sua geografia, perigosa para os navegantes do século XVIII, causou muitos acidentes aos aventureiros que ousaram tentar chegar à região. O mais famoso e que batizou o balneário é o náufrago do capitão espanhol Joseph Pollonio.

dois caminhoes que fazem a travessia para Cabo polonio
Cabo Polônio

O povoado uruguaio está no Departamento de Rocha a 260 km de Montevídeo e sua área é protegida e declarada Reserva Natural da Biosfera pela UNESCO. Esse fator faz com que seja proibido o ingresso de carros particulares no balneário. Há 7 km do centrinho há uma portaria e de lá saem caminhões 4×4 que te levam a Cabo Polônio de fato.

Os caminhões saem algumas vezes por dia, porém sempre bom verificar no site das Rutas del Sol, o valor em março de 2017 estava 500 pesos ida e volta. Os 7 km de trajeto são em dunas desérticas e uma paisagem totalmente virgem. Outra forma (muito) mais difícil de chegar em Cabo Polônio é caminhando pelas Dunas da cidade vizinha, Valizas.

caminhoes que fazem a travessia de cabo polonio no uruguay
Cabo Polônio

A península de Cabo Polônio

A península é muito especial por diversos motivos. Existem duas praias que a cercam, a playa Sur e a playa de la Caravela a primeira é totalmente deserta com apenas algumas casinhas, do melhor estilo uruguaio, simples, planas, com grandes janelas e cores claras.

pedras, mar, casas lindas em uma das melhores praias uruguaias
Cabo Polônio

A playa de la Caravela tem o Farol de Cabo Polônio, para subir no farol o valor é 25 pesos. A subida de 750m não é muito difícil e o visual vale muito a pena. Na base do farol uma incrível costeira, onde leões e lobos marinhos passam os verões curtindo. No inverno os animais migram para uma pequena ilha que fica em frente ao farol. Em outubro também é comum a presença de algumas especíe de baleias no local, assim como golfinhos.

farol de cabo polonio
Farol
espaco de leoes marinhos em cabo polonio
Loberia

A população fixa do vilarejo é  pequena e composta principalmente por artesões, e pescadores. Cabo Polonio não tem rede elétrica e nem asfalto. Algumas casas usam energia solar para esquentar a água, geradores também são comum, principalmente nas noites de verão, quando os barzinhos locais viram pequenos clubes de dança.

Todos esses motivos tornam o refúgio dos animais marinhos tão especial, mas o principal motivo é a plenitude que o lugar traz. Não há uma pessoa que não sinta uma estranha sensação de estar vivendo em outro tempo durante a estadia em Cabo Polonio. Só vivendo para entender.

Desbravando o Uruguai

Por Maria Fernanda Romero

De Florianopólis até Montevideú

O tanto de uruguaios que conheci em Florianópolis no verão de 2017, misturado com outros fatores, me despertou um desejo para desbravar o país. Fui de ônibus pela empresa TTL até a cidade de Rocha, capital do departamento de Rocha. As empresas de ônibus que fazem o trajeto são TTL e EGA, os horários mudam conforme a época do ano.

Até Porto Alegre é praticamente direto, apenas uma parada de 30 minutos em Sombrio, quase na divisa dos estados Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Na capital gaúcha tivemos que trocar e duas horas depois, no município de São Lourenço do sul a terceira parada. Faltavam aproximadamente 6h.

O Chuí é uma das cidades brasileiras que fazem fronteira com o Uruguai, e é a mais usada por brasileiros, principalmente para comprar, uma vez que a cidade é lotada de Free shops. 60 km depois da fronteira, o primeiro balneário uruguaio, Punta Del Diablo.

20170317_182200
Liberdad o Muerte: bandeira da independência uruguaia

Eu desci na capital, cidade de Rocha. O departamento é composto pelas cidades Punta Del Diablo, La Paloma, Rocha entre outras. As casas simples, quase sempre terréas, têm janelas sempre grandes e um ar um pouco antigo e sempre tranquilo e aconchegante. Os poucos carros e muitas praças das cidades colaboram com essa sensação de eterna tranquilidade.

20170316_122156
Farol de Cabo Polônio

De Rocha fui para Cabo Polônio, reservarei um post exclusivamente a esse pedacinho do céu. De Cabo Polônio fui à capital, Montevidéu e me impressionei com as diferenças com nossas cidades brasileiras.

A cidade é limpa, em todos os locais lixeiras, inclusive separando o lixo reciclável. Não há moradores de ruas ou animais abandonados, há um respeito no semblante das pessoas, que assim como nas cidades menores vivem com tranquilidade e segurança. Há muita cultura na cidade, opções de filme gratuito em lugares como na Sala Zitarrosa, muitos museu e parques.

20170322_131505.jpg
Ciudad Vieja Montevideu

Os uruguaios falam sobre política. Há uma variedade de jornais com diferentes ideologias, assim como há luta. Presenciei uma ocupação em um prédio na Ciudad Vieja. Escutei de mais de um uruguaio que, os brasileiros “aceitam tudo”.Há debate na cidade. Particularmente me aprofundei no tema da legalização.

Legislação e Cannabis

Há três anos o presidente José Mujica legalizou o cultivo e uso de maconha medicinal e recreativa no país, porém Mujica não deixou claro como agir durante o processo de regularização da medicina. Uma das vantagens da legalização é o controle. Quando algo é proibido perdemos o controle sobre ele, legalizar é controlar, porém nem sempre isso é bom em um país latinoamericano, onde as autoridades são tão corruptas e a polícia é militarizada e autoritária.

Ainda há medo entre os usuários de cannabis no Uruguai, e o IRCCA, órgão responsavel pelo cumprimentos das leis relacionadas a planta, é extramente burocrático e muitas vezes rígido.

20170323_102422
Universidade Nacional do Uruguai em Montevideu

Voltei para o Brasil de carona pelo aplicativo Blablacar até a capital gaúcha, Porto Alegre. Muito atencioso o motorista parou em outros dois pontos turísticos: Punta Ballena e Punta del Este.

Punta Del Este

Punta Del Este, localizada no Departamento de Maldonado, é provavelmente o destino mais famoso da América do Sul. A revista Forbes, em 2008, o classificou como o balneário mais luxoso do continente. O maior Hotel e Casino da América do Sul também está por lá.

Apesar de todo esse ar luxoso, a praia dessa punta é maravilhosa e o pôr-do-sol do porto é inacreditável, andar de bicicleta pelo balneário também é uma delícia. O monumento Los Dedos também é uma atração de Punta Del Este. O monumento de fevereiro de 1982 realizado pelo artista plástico chileno Mario Irrazábal representa a presença do homem na natureza.

Punta Ballena

Ao lado de Punta del Este, Punta Ballena é uma pequena península com uma visa igualmente incrível. A extensão desse balneário é de aproximadamente 12 km.

Entre os resorts está a Casapueblo. A incrível casa foi feita e habitada pelo artista plástico uruguaio Carlos Paez Vilaró. Sua casa-escultura funciona como resort, museu, restaurante e também mirante para um pôr-do-sol de tirar o fôlego.O balneário também recebe visitas frequentes da baleia-franca e de golfinhos.

20170324_174510
Punta Ballena
20170324_174550
Casapueblo

Conhecer o Uruguai foi um ótimo aprendizado, além de ficar em paz com a tranquilidade dos lugares percebi a importante de um debate público e de uma educação de qualidade. A informação é a chave para uma sociedade melhor.

Um brinde ao infinito

“Segura minha mão”, pediu a garota enquanto se apoiava na calota do trailer.

O vento forte bagunçava seus longos cabelos negros. Apesar do vento, o fim de tarde estava quente. O sol já havia se posto mas, a escuridão não estava completa. Era aquela hora do dia que o céu fica laranja-rosa-azul-escuro, tudo ao mesmo tempo…

E o mar reflete todas as cores.

“Pronto. foi difícil chegar aqui, hein?” Reclamou o menino quando ambos já estavam acomodados em cima do trailer. A ideia maluca foi dela, lógico.

img-20170221-wa0043

Era um trailer velho, daqueles que vende pastel na praia e, estava lá, justamente naquele momento mágico do dia. Os jovens enamorados, se é que assim podemos denominá-los, procuravam um lugar para ficarem juntos em paz.

“Mas tá valendo a pena, não está?” Ela respondeu enquanto admirava o mar. As ondas iam e vinham no balanço característico. As espumas borbulhavam, as cores se misturavam, em instantes o céu ficaria escuro e, a cada onda que se quebrava era como se ela tirasse uma foto com os olhos, queria eternizar aquele momento. Se não fosse em fotos que fosse na memória.

“Em que você tá pensando?” Ele perguntou percebendo a distração da garota

“No infinito….”

Ela via a linha do horizonte que dividia o céu e a terra e queria se teletransportar para lá, para tudo, para tudo que não tivesse fim, para o infinito. Ela não queria apenas estar no infinito, ela almejava o infinito. O infinito do espaço, o infinito do tempo, o infinito do amor. Ela era o infinito com toda sua intensidade.

Ela ainda não sabia, mas aquele momento realmente seria infinito para ela, nas suas lembranças e no seu coração. Olhando para o mesmo ponto, eles sorriam e juntos desejavam. E talvez essa não seja uma história de amor, mas sim de uma energia, uma energia que ainda dura e vai durar toda eternidade, até o infinito.