Eu perdi tanto viajando

Por Maria Fernanda Romero

Viajar foi me perder de tudo que eu conhecia

Eu perdi alguns amigos. Mas também descobri que o amor é mais forte que qualquer distância, e não precisa estar perto para amar. As demonstrações mais sinceras, nem sempre compartilham comitantemente o mesmo espaço.

Eu perdi tantas roupas! Algumas eu deixei por aí, tem aquelas que alguém gentilmente guardou para mim, outras encontraram novos lares. Mas descobri que elas nunca definiram minha aparência.

perdida em uma praia deserta nas Canárias
Ilhas Canárias

Nessa viagem eu também perdi apego.

Tudo que é “meu” pode não vir-a-ser mais. De uma hora para outra. Talvez nada nunca tenha sido meu. Então, também perdi tudo que me pertencia.

E se nada mais me pertencia, não pude levar mais nada de onde passei. Escrevo as lembranças para eternizar memórias. Pois, depois de lotar a parede de alguma sala com cartões postais, perdi todas as coleções, que carregava no intuito de ter cada lugar comigo para sempre.

Foi aí que perdi a vaidade. Mas também encontrei meu brilho, e ele nada tinha a ver com quartzos pendurados no pescoço, ou com qualquer pintura na cara. E minhas manias? Eram vários tipos de rituais. Para acordar. Antes de comer e de dormir. O jeitinho de falar, a hora de escrever. A luz certa. A posição de sentar. E também de dormir. Deixei elas espalhadas em alguns encontros.

Perdi o medo de ver o tempo passar. De observar, mediocremente, a vida. De deixar de existir ou permanecer inerente.

Perdi o medo de não realizar os sonhos. Perdi o medo de não conseguir criar. Ou de não aguentar o peso. Da vida. Da mochila. Foi então que eu perdi o medo de lidar comigo. De me ouvir e me conhecer. Percebo que perdi tanta coisa, que continuar deve significar que também perdi a razão.

COMO VIAJAR SEM PAGAR HOSPEDAGEM?

Por Maria Fernanda Romero

Não pagar aluguel ou hospedagem tem um peso gigante no orçamento mensal e é um dos fatores que me permite ficar na estrada por longos períodos. Por isso resolvi fazer esse post com dicas e todas as possibilidades para se hospedar de graça em qualquer lugar do mundo.

vale com rio em baixo cortando as montanhas e o pôr- do- sol laranja iluminando o verde
Parque Nacional Peneda-Gêres

Couchsurfing

A primeira opção para se hospedar de graça é o Couchsurfing, um aplicativo que conecta os viajantes com locais que podem recebê-los em suas casas. O couchsurfing é uma experiência que vai muito além da economia, é uma forma de aprender e se conectar com a rotina do lugar e das pessoas que moram ali.

Apesar do nome do aplicativo traduzido ser “surfando por sofás”, muitas pessoas oferecem quarto privados para receber os viajantes. O aplicativo também promove eventos e encontros Além do aplicativo existem vários grupos de couch no facebook.

Home Exchange

Um plataforma onde você cadastra a sua casa para receber viajantes e pode se hospedar na casa de outras pessoas. A cada viajante recebido você ganha pontos que são usados para se hospedar na casa de outras pessoas.

flores na motanha com tons de roxo, verde e amarelo.
Pico Ruivo, Madeira, Portugal

House Sitting

Essa opção se trata de cuidar da casa de alguém que foi viajar e em troca viver por lá, como se fosse sua casa, por um tempo! Fiz house sitting assim que cheguei em Barcelona. Morei em um apartamento lindo em Gràcia em troca de cuidar das gatinhas e das plantas enquanto a dona estava no Brasil. Na época nem conhecia o termo house sitting e achei a oportunidade pelo facebook, mas já ouvi falar do site TrustedHousesitters

Troca de trabalho por hospedagem

Acredito que seja a forma mais conhecida de se hospedar de graça. É muito popular principalmente em hostéis, mas cada vez mais projetos relacionados com permacultura e bioconstrução estão buscando voluntários. Alguns projetos oferecem comida também o que reduzem o custo da viagem a quase zero. As plataformas mais conhecidas são Worldpackers, Workaway e Wwoof, a última focada principalmente em projetos ecológicos.

Sagrada Familia, Barcelona, Espanha

Nada também impede de oferecer sua habilidades para lugares que precisam de uma ajuda. Fazer amigos pelo mundo também abre portas em vários lugares, mas se for se hospedar na casa de algum amigo lembre-se de contribuir com algo, ao menos a cerveja!